segunda-feira, 20 de abril de 2009

5 Perguntas para J.J. Marreiro

J.J. Marreiro começou a trabalhar profissionalmente com ilustração em livros de informática e aulas de desenho para crianças. Aprimorou sua técnica na Oficina de Quadrinhos do Ceará e, pouco depois, montou o estúdio Graph It com os colegas Daniel Brandão e Geraldo Borges. Marreiro já desenhou para publicações de diversas editoras brasileiras - Abril, Panini, Trama, Positivo e Ática entre elas – e também para o mercado internacional.

Conhecido por seus personagens Mulher-Estupenda e Lucy & Sky, J.J. Marreiro responde as 5 Perguntas do Papo de Quadrinho desta semana:

1) De onde veio a idéia de criar histórias que homenageiam a Era de Ouro dos quadrinhos?
Quando comecei a notar que o leitor esporádico não conseguia entender a grande maioria dos quadrinhos em banca. Pra entender uma só história dos X-Men, o leitor hoje é obrigado a comprar pelo menos quatro revistas. Isso é um absurdo! Lembrei que quando era guri as histórias eram fechadas e conquistavam pela sua qualidade e não pelo gancho de continuação. As histórias de antigamente eram simples, fáceis de entender e por isso tinham muito mais leitores; eram quadrinhos baratos onde a editora lucrava pela quantidade das vendas. Hoje a revista é cara porque são feitos pouquíssimos exemplares.

2) Quais são seus autores, personagens e histórias preferidas daquela época?
Charles Clarence Beck, Dick Sprang, Al Plastino, Wayne Boring e Curt Swan. Don Heck, Wally Wood e Russ Maning. São tantos artistas fantásticos que fica difícil enumerar só alguns. Walmir Amaral, Flávio Colin, Julio Shimamoto, Gedeone e Will Eisner também estão na minha lista. Esses últimos são absolutamente geniais não só pela compreensão que eles têm do desenho, do quadrinho e de sua narrativa, mas pela decência e postura de respeito com os fãs e leitores. Esses artistas geniais possuem uma generosidade e uma humildade impressionantes. No início eu gostava muito do Capitão Marvel, Fantasma, Tarzan, Raio Negro, Spirit, Batman e Super-Homem.

3) A Mulher Estupenda já foi publicada em revistas ou fanzines? Quais e em que época? Como encontrá-los?
A Mulher-Estupenda foi publicada no (fanzine) Manicomics, Areia Hostil, Clube dos Heróis, Heróis Brazucas, Devoradores de Gibis e Melhores do Mundo. Encontrar esses exemplares dependerá de seus editores ainda estarem publicando esses títulos. Na web, há aventuras publicadas no www.hqnado.com e no www.armagem.com.

4) Na sua opinião, o que falta para que os super-heróis nacionais sejam bem sucedidos no mercado?
Marketing. Produzir o material, fazer uma boa distribuição e divulgação. Quanto mais fácil encontrar o produto melhor para o leitor. Percebo que a distribuição da Panini tem sido muito mal trabalhada aqui no Nordeste; vejo muitas bancas perto de escolas e universidades que não têm títulos Panini. Isso é um equívoco irreparável porque a revista vai vender menos e vão cancelar dizendo que o leitor é culpado por não comprar. Na verdade eu não posso comprar o produto se ele não está à minha disposição nos lugares que freqüento. Má distribuição e preços elevados assassinam qualquer título.

5) Quais seus planos para a Mulher Estupenda e demais criações para este ano?
Estou trabalhando em vários outros quadrinhos que não envolvem a Mulher-Estupenda, assim ainda vai demorar para que algo realmente drástico aconteça com as publicações impressas de aventuras da personagem. Estou explorando outros temas da Era de Ouro em novas produções, a exemplo das Garotas da Selva em Apuros, que é uma série em andamento disponível no http://www.armagem.com/. Lá também tem outros personagens e autores com trabalhos muito legais. Além disso, estou tentando dar mais carga às tiras de Lucy & Sky; o mundo anda muito cínico ultimamente e isso significa uma maré muito boa para o humor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário