sexta-feira, 28 de agosto de 2009

A história do Corinthians em Quadrinhos

Produzido pelo time paulista, a Editora Globo e o cartunista Ziraldo, Todo-Poderoso Timão faz parte da comemoração do centenário do Corinthians, comemorado no ano que vem.

A grande sacada do livro não é nem a homenagem em si, mas o fato de ensinar aos pequenos torcedores o valor da tolerância, da rivalidade sadia no futebol e de que nem sempre o mais importante é vencer.

Por meio de uma história em quadrinhos, Todo-Poderoso Timão começa contando a origem do clube para, sem seguida, narrar uma série de aventuras vividas pelo personagem Mosquetinho e do seu núcleo familiar, dos pais aos avós, todos apaixonados pelo Corinthians.

O lançamento para imprensa acontece na próxima quarta-feira, dia 3, na sede da Editora Globo, com presença de dirigente e jogadores do time.

No dia seguinte (4), a partir das 18h, Ziraldo autografa a obra e conversa com os fãs na Livraria Saraiva do Shopping Center Norte e, no dia 5, repete a dose na Saraiva do Shopping Ibirapuera.

Todo-Poderoso Timão tem 112 páginas, formato 19 x 27,5 cm e será vendido a R$ 25.

Só para constar, eu sou palmeirense e o Társis, gremista.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Exposição sobre a História do Brasil em Quadrinhos no Metrô

De 4 a 30 de setembro, os usuários do Metrô de São Paulo poderão rever, de forma lúdica, alguns dos principais acontecimentos que levaram à Independência do Brasil em 1822.

A exposição História do Brasil em Quadrinhos: Independência integra o programa Embarque na Leitura e reproduz, por meio de 20 painéis, trechos do livro em quadrinhos publicado pela Editora Europa.

Na obra, fatos como a fuga da família real portuguesa, o Dia do Fico e o grito do Ipiranga são reconstituídos pelo personagem do professor Daguerre a três crianças durante uma excursão escolar ao Museu Paulista.

O desenvolvimento dos personagens infantis teve a preocupação de abranger a diversidade étnica brasileira: a oriental Catarina, o negro Marcelo e o branco Gustavo, este, inclusive, um cadeirante que demonstra a mesma disposição e alegria dos amigos ao longo de toda a aventura.

Os autores basearam-se em diversas obras de arte sobre este período da História do Brasil como forma de remeter à adaptação para os quadrinhos aos livros da educação formal nas escolas.

A exposição na estação Alto Ipiranga do Metrô não só instrui os usuários sobre este importante fato histórico como também apresenta estas curiosidades, convertendo-se num programa para todas as idades.

O livro História do Brasil em Quadrinhos: Independência foi desenvolvido pelo núcleo da revista Mundo dos Super-Heróis, do editor Manoel de Souza, em parceria com Edson Rossatto e Jota Silvestre (roteiro); Laudo (desenhos); Celso Kodama (esboços); Omar Viñole (cores) e André Morelli (assistente de edição).

A exposição é organizada pela Andross Editora com apoio do Metrô de São Paulo e Editora Europa.

Nos dias 09, 16, 23 e 30 de setembro, das 19 às 21 horas, os autores da HQ estarão na exposição para interagir com os visitantes.

SERVIÇO:
Exposição História do Brasil em Quadrinhos: Independência – Curiosidades Históricas e Bastidores da Criação do Livro.
Local: Estação Alto Ipiranga do Metrô – São Paulo/SP
Data: de 4 a 30 de setembro
Horário de funcionamento da estação: 4h40 min. às 00h00
Organização: Andross Editora e HQ em Pauta
Apoio: Metrô de São Paulo, programa Embarque na Leitura e Metrô de São Paulo.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

“Bichos do Lixo” estreia na MAD brasileira

Apesar das minhas insistentes tentativas, o autor das tiras protagonizadas por Archimedes e Leopoldo prefere manter seu pseudônimo, X: “Não quero aparecer mais que meus personagens”, diz ele.

O fato é que desde o dia 13, X vem produzindo tiras diárias dos Bichos do Lixo em seu blog e, em breve, vai estrear na MAD brasileira.

As gags são recheadas de humor negro, escatológico e politicamente incorreto – o que não quer dizer que não sejam divertidas.

“Minha maior inspiração para a criação e elaboração destas tiras veio de dois universos completamente distintos: Malvados, de André Dahmer, e Bichinhos de Jardim, de Clara Gomes”, garante o autor em seu blog.

Pessoalmente, vejo algo do Níquel Náusea do Fernando González também.

Nas quinze tiras publicadas até hoje, já começam a aparecer personagens coadjuvantes, como a mosca Rita e o louva-a-deus Pastor.

Não é o tipo de humor que agrada a todos os leitores, mas vale dar uma conferida.


segunda-feira, 24 de agosto de 2009

O fim do Homem de Ferro?

Bem, esta nota pode ser considerada um spoiler; então, se você não quer saber antecipadamente o que vai acontecer com o Vingador Dourado, talvez seja melhor parar por aqui...

Quem curtiu assistir ao Homem de Ferro tomar um cacete do Thor logo após a Guerra Civil e outro do Hulk na mini Hulk Contra o Mundo, vai gostar de saber que as coisas não ficarão nada bem para o diretor da SHIELD depois de Invasão: o herói cairá em desgraça e Norman Osborn vai ganhar autorização para caçá-lo. É aí que começa o arco World’s Most Wanted (“O mais procurado do mundo”).

Com a proximidade do final deste arco nos Estados Unidos, a Marvel anunciou na semana passada o que vem por aí: o novo arco Stark Disassembled, que chega às bancas em novembro (na revista The Invencible Iron Man 20) e cuja capa, acima, foi revelada hoje.

Para quem leu a história da morte do Capitão América, fica fácil reconhecer a homenagem de Salvador Larroca nessa imagem.

Stark Disassembled promete ser a redenção do Homem de Ferro e deve reintegrá-lo à comunidade heróica depois que ele retornar da viagem a seu inferno anterior. Por seu histórico e importância no Universo Marvel, bem que ele merece.

5 Perguntas para André Morelli

Jornalista e colega de redação da revista Mundo dos Super-Heróis, André Morelli acaba de concluir o livro Super-Heróis no Cinema e nos Longa-metragens da TV, em pré-venda no site da Editora Europa. A obra apresenta resenhas e comentários de mais de 150 adaptações cinematográficas de personagens dos quadrinhos e é ilustrado com mais de mil fotos.

André Morelli responde as 5 Perguntas do Papo de Quadrinho desta semana:

Quanto tempo levou entre a concepção do livro e sua conclusão?
Acredito que da concepção até o livro chegar da gráfica foi cerca de um ano de muito trabalho e pesquisa.

Quais foram os critérios para escolher os filmes que entrariam e os que ficariam de fora?
O critério foi indicar filmes que se inspiraram em quadrinhos. Dessa forma, filmes como Hancock ou Darkman ficaram de fora, já que são personagens criados diretamente para o cinema. Em compensação, os filmes inspirados em personagens pulp foram incluídos, pois além de considerar a literatura pulp uma espécie de "pai" das histórias em quadrinhos, seus personagens mais famosos (Tarzan, Sombra) têm uma história longa relacionada às HQs. Outro critério foi deixar de lado produções infantis e mais ligadas ao humor, como Riquinho e Garfield. Essa regra só foi quebrada em histórias que brincam com os clichês dos super-heróis, como a comédia Heróis muito Loucos.

São mais de 150 filmes resenhados. Como vc fez para assistir a todos, inclusive aqueles difíceis de encontrar?
Como fã de quadrinhos e de cinema, eu já tinha assistido à maioria dos filmes citados no livro. Para os mais obscuros, tive acesso às coleções particulares de alguns dos colaboradores da Mundo dos Super-Heróis. Para os difíceis de verdade, a Internet foi essencial. O Superman indiano é um filme difícil de ser encontrado até na Índia, mas alguns malucos disponibilizaram o material online. E trabalhos como os fan filmes têm a rede como principal ferramenta de exibição e divulgação.

Quais foram as principais dificuldades que vc encontrou na confecção deste livro?
Foi acima de tudo um trabalho que precisou de tempo para ser concluído. Eram muitos filmes, muitas informações para serem cruzadas e checadas. E durante a produção do livro, continuei escrevendo matérias para a Mundo. Foi uma correria inacreditável, mas o esforço valeu a pena.

Comente algumas das principais descobertas que vc fez durante a pesquisa.
Foram tantas que fica difícil citar uma em especial. Desde o começo do projeto, o foco do livro foi ir atrás de curiosidades sobre os filmes. Algumas pessoas podem até estranhar o espaço dado para algumas produções que no próprio livro eu cito como ruins, mas no final vale como curiosidade. Alguns desses filmes se tornaram raridades e as imagens servem para mostrar que quando o assunto são adaptações de quadrinhos, já se produziu de tudo.

Super-Heróis no Cinema e nos Longa-metragens da TV pode ser encomendado a preço promocional de R$ 24,90 no site da Editora Europa, com previsão de entrega para 10 de setembro. Depois disso, o preço normal é R$ 39,90.

sábado, 22 de agosto de 2009

Panini vai publicar Vertigo e WildStorm no Brasil

Quando a Pixel foi comprada pela Ediouro, os fãs brasileiros de Hellblazer, Preacher, Sandman, Y-The Last Man, entre tantos outros, tiveram motivos de sobra para se preocupar. Afinal, não seria a primeira vez que os títulos dos selos adultos da DC ficariam incompletos por aqui.

Com o lançamento de Luluzinha Teen pelo selo Pixel/Ediouro, as esperanças foram para o brejo de vez...

A boa notícia é que a Panini, que já publica a linha convencional de quadrinhos da DC, vai assumir também os selos adultos Vertigo e WildStorm oficialmente a partir da Bienal do Livro do Rio de Janeiro, de 10 a 20 de setembro.

A editora, inclusive, já anunciou os títulos que estarão em pré-lançamento no evento literário e que chegam às bancas em outubro: Y – O Último Homem vol. 1. Vertigo 1 (mix mensal que já começa bem com John Constantine e um spin-of de Sandman, Thessaliad) e ZDM: Terra de Ninguém vol. 1.

Enfim, é mais uma chance para os fãs deste gênero de quadrinhos começarem ou retomarem suas coleções.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Bate-papo sobre Lanterna Verde neste sábado

O encontro será promovido pela Livraria Cultura e Warner, para divulgar o lançamento oficial do DVD Lanterna Verde: Primeiro Voo, desenho animado que reconta a origem do herói e sua primeira aventura como membro da Tropa dos Lanternas Verdes.

O bate-papo vai reunir leitores com o desenhista Ivan Reis, que vem trabalhando com o personagem para a DC desde 2006; Fábio Yabu, criador dos Combo Rangers e Princesas do Mar; o jornalista Paulo Gustavo Pereira, diretor de redação da revista Sci-Fi News; e Levi Trindade, editor dos títulos da DC no Brasil.

Serviço:
Lanterna-Verde: Primeiro Voo
Dia 22 de agosto, sábado
A partir das 18h
Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (Av. das Nações Unidas, 4777 – São Paulo/SP)

Direitos do Superman voltam para os autores

Melhor dizendo, para as filhas de Jerry Siegel, Joanne e Laura, e o espólio de Joe Shuster, que morreu sem mulher e filhos.

Uma decisão da justiça americana na semana passada concedeu aos herdeiros dos criadores do Superman direitos sobre parte da cronologia do herói - aquelas que foram criadas por iniciativa de Siegel e Shuster e não por encomenda da DC Comics.

Isso significa que a partir de 2011, qualquer menção a fatos sobre o planeta Krypton, os pais biológicos Jor-El e Lara e a chegada do Superman ainda bebê à Terra numa cápsula espacial, por exemplo, precisarão da autorização dos novos donos dos direitos.

Até então, os herdeiros já haviam recuperado o controle sobre o uniforme do Superman, a identidade secreta de Clark Kent, a repórter Lois Lane e o jornal Planeta Diário.

A disputa judicial acirrou-se em 1999, depois que, anos antes, houve mudanças na legislação americana de direitos autorais. A primeira vez que Siegel e Shuster entraram na justiça a fim de receber parte dos lucros da DC com os personagens, porém, data de 1947.

Resta saber o que a DC/Warner fará a respeito. Caso não caibam mais recursos, o mais lógico e justo seria deixar tudo como está e dividir a grana com os verdadeiros donos. Vamos combinar, a editora já faturou bastante, sozinha, nas últimas sete décadas.

Lembrando que a decisão se aplica a todas as mídias, inclusive um possível novo longa-metragem do Homem de Aço.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Pequenas mudanças...

Caso o leitor esteja estranhando o Papo de Quadrinho, não precisa se preocupar: a qualidade editorial, boa ou má, continua a mesma.

Apenas implementei algumas mudanças visuais e organizei melhor o acesso às seções fixas do blog, como você pode conferir aí na barra à esquerda.

O Papo de Quadrinho também passa a ser acessado por domínio próprio: www.papodequadrinho.com. Quem já tem o endereço antigo marcado nos Favoritos (alguém tem?), pode ficar tranquilo porque o blogspot se encarrega de direcionar.

Espero que gostem. Críticas e sugestões continuam sendo bem-vindas.

Vale o Investimento: Luluzinha Teen

Em primeiro lugar, estou muito, muito fora do público-alvo da revista (jovens entre 12 e 16 anos). Nem tenho filho nessa idade... Mesmo assim, fui conferir a novidade.

Luluzinha Teen segue uma tendência mundial, a de “crescer” personagens antes voltados ao público infantil. Entre nós, o exemplo mais evidente é a Turma da Mônica Jovem, de Maurício de Sousa, mas há também precedentes no mercado internacional, como Ben 10 e Meninas Superpoderosas.

Qual o mal disso? Nenhum. A audiência cresceu, então nada mais natural que as editoras façam o mesmo com seus personagens.

Luluzinha Teen tem ritimo de Malhação: namoricos, mistérios, turmas rivais. Tenho a impressão de que são esses os temas que atraem os tweens hoje em dia e que justificam o suposto sucesso da revista (tiragem declarada de 100 mil exemplares por mês).

Os personagens também lançam mão de toda a parafernália eletrônica da chamada Geração Y: videogames, internet, mídias sociais, celulares e – isso eu acho uma boa sacada – um blog de verdade que não só interage com a trama como também traz outros assuntos.

O maior problema dessa nova turma da Luluzinha é que ela poderia ser qualquer turma. Muito diferente do que acontece com a Mônica Jovem (a comparação é inevitável), a caracterização dos personagens "crescidos" não remete de modo algum aos modelos originais.

Os criadores tentam driblar isso abrindo cada edição com uma breve apresentação dos protagonista e inserindo referências a fatos do “passado” na trama. Funciona? Sim, mas também exige uma grande dose de boa vontade dos leitores, pelo menos dos mais veteranos.

O maior mérito de Luluzinha Teen, como eu disse em posts anteriores, é ser uma criação brasileira, uma concessão da licenciadora mundial exclusiva para nosso mercado. E também o fato de ser escrita e desenhada aqui, o que abre novas oportunidades para nossos profissionais.

No geral, a revista vale o investimento de R$ 6,40 por edição e o tempo gasto para ler as 96 páginas. Os roteiros são bem feitos, a linguagem é adequada ao público-alvo e a arte não envergonha, mesmo havendo a opção pelo "mangá".

Se tiver oportunidade, leia pelo menos uma edição para formar seu próprio conceito e não se deixar levar por críticas que, muitas vezes, são influênciadas apenas pela resistência a se modernizar personagens que marcaram a infância de muita gente.

Eu gostei.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Batman é estrela de exposição no SESC

De 26 de agosto a 4 de outubro (sempre de terça a domingo), o SESC Pompeia vai abrigar a mostra Herói de Papel não Envelhece. Como está completando 70 anos de publicação em 2009 (até aí, Namor e Tocha Humana também estão), Batman foi escolhido como homenageado da exposição.

Por conta disso, haverá painéis com imagens de alguns de seus inimigos, uma réplica do batfone, projeção do batsinal, painel com o batmóvel e Gotham City, instalação reproduzindo a batcaverna, exibição de um vídeo sobre o universo do personagem e morcegos pendurados no teto com o nomes de roteiristas e artistas que já trabalharam com o Homem-Morcego.

Uma parte da mostra será dedicado a personagens clássicos como Tarzan, Flash Gordon, Dick Tracy, Fantasma, Zorro, Conan, Capitão Marvel e Mandrake, e outra, a personagens nacionais criados principalmente nos anos 70.

A exposição ainda oferece espaço para leitura, curso de quadrinhos e uma mostra de edições raras do acervo do colecionador Alexandre Callari. Por fim, o artista Lourenço Mutarelli apresenta sua visão particular de como vários heróis - Capitão Marvel, Fantasma, Dick Trace, Tarzan e Zorro – teriam chegado aos 70 anos de idade.

Se Herói de Papel não Envelhece cumprir tudo o que promete, é um programão. Pretendo conferir.

Serviço:
Exposição Herói de Papel não Envelhece
De 27 de agosto a 4 de outubro. De terça a domingo, das 10h às 19h.
SESC POMPEIA (Rua Clélia, 93 – Lapa – São Paulo/SP)
Entrada gratuita
Informações: (11) 3871-7700

As HQs mais vendidas em julho

Nos Estados Unidos, porque aqui continuamos no escuro...

O primeiro lugar não é surpresa nenhuma: a edição de estreia da mini Captain America: Reborn, que vai trazer o velho soldado de volta à vida e causou grande buxixo na mídia na época do lançamento.

O trunfo da DC no mês que passou foi mais um de seus megaeventos: Blackest Night, que não só garantiu a segunda posição entre as HQs mais vendidas com o primeiro número da minissérie como também segurou o quinto e sexto lugares com os desdobramentos publicados na revista Green Lantern.

Na divisão do bolo, a Marvel continua garfando a maior parte. Em julho, a Casa das Idéias ficou com 42,5% do total de exemplares vendidos, o equivalente a 37,2% do faturamento; a DC ficou com 34,1% e 36,2%, respectivamente



Veja a lista das 10 HQs mais vendidas em julho nos Estados Unidos

1) Captain America: Reborn 1
2) Blackest Night 1
3) Batman and Robin 2
4) Amazing Spider-Man 600
5) Green Lantern 43
6) Green Lantern 44
7) Dark Avengers 7
8) Incredible Hulk 600
9) Captain America: Reborn 601
10) Ultimatum 5

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Quadrinho nacional e lésbicas

Anita Costa Prado, criadora da personagem homossexual Katita, convida para um bate-papo hoje (17), a partir das 18h, sobre “Lésbicas e Afins no Quadrinho Nacional”.

O encontro é no Ponto de Leitura Olido, na avenida São João, 473, centro de São Paulo. Segundo o convite, a conversa vai focar mesmo na produção nacional e no trabalho de autores como Angeli, Henrique Magalhães e Márcio Baraldi, além da própria Katita.

Ao final, haverá sorteio de revistas entre os participantes. A entrada é gratuita.

HQMix 2009: Lista dos premiados

Este ano, uma das principais premiações nacionais dos quadrinhos promoveu uma enxugada nas categorias e mudou o critério de algumas. Os vencedores foram escolhidos por mais de dois mil profissionais da área:

Adaptação para os Quadrinhos - Dom Quixote (Bira Dantas)
Adaptação para outro veículo - Batman, o Cavaleiro das Trevas
Articulista – Rogério de Campos
Caricaturista - Dálcio Machado
Cartunista - Duke
Chargista - Angeli
Desenhista Estrangeiro - Liniers
Desenhista Nacional - Rafael Grampá
Desenhista Revelação - Hemeterio
Edição Especial Estrangeira - Asterix e seus amigos
Edição Especial Nacional - Mesmo Delivery
Editora do ano – Panini
Evento - Bistecão Ilustrado
Exposição - Angeli/Genial
Grande Contribuição - FNAC
Grande Contribuição - Programa PNBE
Grandes Mestres - Ciça e Zélio
Homenagem/Destaque Internacional - Fábio Moon e Gabriel Ba
Homenagem/Destaque Internacional - Ziraldo
Ilustrador Nacional - Weberson Santiago
Livro Teórico - Henfil, O humor subversivo
Mídia sobre HQ - Blog dos Quadrinhos (Paulo Ramos)
Projeto Editorial - Turma da Mônica Jovem
Publicação de Aventura/Terror/Ficção - 100 Balas
Publicação de Cartuns - Tulípio 7
Publicação de Charges - 35º Salão de Piracicaba
Publicação de Clássico - Che
Publicação de Humor - Piratas do Tietê n.3
Publicação de Tiras - Níquel Náusea Em boca...
Publicação Erótica - CLIC n.3
Publicação Independente de Autor - Nanquim Descartável
Publicação Independente de Grupo - Café Espacial
Publicação Independente Especial - Depois da Meia-noite
Publicação Infanto-juvenil - Turma da Mônica Jovem
Publicação Mix - Graffiti n.18
Roteirista Estrangeiro - Alan Moore
Roteirista Nacional - Adriana Brunstein e Samuel Casal
Roteirista Revelação - Olinto Gadelha
Salão e Festival - 1° Festival Internacional de Humor do RJ
Tira Nacional - Níquel Náusea
Trabalho de Doutorado – Valéria Aparecida Bari
Trabalho de Mestrado - Líber Eugenio Paz
Trabalho de TCC – Pedro Franz Broering
Web Quadrinhos - Quadrinhos Ordinários

A festa de premiação acontece nesta sexta-feira (21), a partir das 20h, no SESC Pompeia (Rua Clélia, 93 – Lapa – São Paulo/SP), com apresentação de Serginho Groisman.

Este ano, o HQMix homenageia o artista Eugenio Colonnese, morto no ano passado. O troféu foi esculpido no formato da mais cultuada personagem de Colonnese, a vampira Mirza.

O HQMix, promovido pela Associação dos Cartunistas do Brasil (ACB) e Instituto Memorial das Artes Gráficas do Brasil (IMAG), foi criado há 20 anos pelos cartunistas JAL e Gualberto Costa como extensão do quadro deles sobre quadrinhos no programa TV Mix, exibido pela TV Gazeta.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Teste Teste Teste

Teste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste TesteTeste Teste Teste

A volta do Tocha Humana original

Parece fato inédito mas não é. Desde que supostamente desapareceu depois da Segunda Guerra Mundial, Jim Hammond já foi trazido de volta algumas vezes.

A primeira delas foi na década de 60, numa aventura do Quarteto Fantástico em que o Pensador Louco ressuscita o Tocha original e provoca uma briga com o “novo” Tocha, Johnny Storm. Apesar de ter sido destruído no final pelo vilão, Jim Hammond voltaria novamente. Até gerente da Oracle, companhia de Namor nos anos 90, ele foi...

Mas mesmo não sendo inédita, não deixa de ser uma boa notícia. Por conta dos seus 70 anos, a Marvel está promovendo um revival de seus heróis clássicos, seja na minissérie Invasores/Vingadores, nos acontecimentos envolvendo a volta da morte do Capitão América e também em The Marvels Project.

Dia 2 de setembro sai nos Estados Unidos a primeira parte (de oito) da série The Torch. Os roteiros são de Mike Carey e Alex Ross (que também desenhou a capa aí de cima) e a arte do novato Patrick Berkenkotter. O vilão responsável pela volta do Tocha Humana original será novamente o Pensador Louco, obcecado por aprender os segredos do andróide.

O Tocha Humana estreou na revista Marvel Comics #1, em novembro de 1939, e sob muitos aspectos pode ser considerado o primeiro super-herói da Marvel – se levarmos em conta que o outro “super” desta edição, Namor, surgiu praticamente como um vilão.

Jornalismo na Varanda neste sábado (15)

O bate-papo vai reunir Paulo Ramos, editor do premiado Blog dos Quadrinhos; Laudo Ferreira Jr. e Omar Viñole, artistas do livro História do Brasil em Quadrinhos; e Edu Mendes, membro do Conselho Administrativo do Quarto Mundo às 17h, na Quanta Academia de Artes.

O encontro é uma extensão da reportagem em formato de quadrinhos sobre a história do coletivo do Quarto Mundo, produzida pelos palestrantes. Para quem quiser conferir o resultado, as páginas estão publicadas no blog do Paulo Ramos que, inclusive, adianta um pouco do que vai ser debatido neste sábado na Quanta: o processo de criação do projeto.

Para quem é fã de quadrinhos ou interessado nas diferentes formas de se contar uma história, vale uma passada pelo evento.


SERVIÇO:
Dia: 15 de agosto
Horário: 17h
Local: Quanta Academia de Artes (Rua Dr. José de Queiroz Aranha, 246 - próximo ao Metrô Ana Rosa)
Entrada Franca

X-Men e Homem-Aranha em edições especiais

A Panini anuncia para este mês o terceiro volume da Biblioteca Histórica Marvel dos personagens e ainda uma mini que apresenta os vários encontros entre eles ao longo dos anos.

A Biblioteca do Homem-Aranha 3 traz histórias do herói publicadas originalmente em 1965, todas escritas por Stan Lee e desenhadas por Steve Dikto (que também co-escreveu alguns dos roteiros). A edição mantém a qualidade dos números anteriores, com 284 páginas, formato americano, capa dura, papel couchê e preço de R$ 68.

Biblioteca Histórica Marvel: Os X-Men 3 vem com aventuras dos anos de 1966 e 1967 escritas por Roy Thomas e desenhadas por Werner Roth, Jay Gavin e Jack Sparling. Sai com o mesmo tratamento especial, 220 páginas e preço de R$ 54.

Ambos encadernados saíram nos Estados Unidos em 2003 e são recheadas de vilões bacanas: Escorpião, Circo do Crime, Duende Verde, Conde Nefária, Mímico, Superadaptóide... Como sempre, a Biblioteca Histórica Marvel cumpre a dupla função de matar a saudade dos fãs veteranos e apresentar aos novos leitores um tipo de história que não se vê mais hoje em dia.

A Panini não divulgou as capas; por dedução deste blog, se a editora for aproveitar as mesmas das séries originais – Marvel Masterworks – devem sair como as imagens aí de cima.

X-Men e Homem-Aranha 1 é uma mini em duas edições que resgata (ou reinventa) os encontros entre eles em diferentes momentos de suas carreiras. Em comum, eles têm a incompreensão por parte da população e vilões dispostos a destruí-los.

O roteiro é de Christos Gage (A Iniciativa, Dinastia M) e a arte de Mario Alberti (Invasores/Vingadores). Esta primeira parte chega às bancas por R$ 6,90.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

HQMix divulga homenagens

Todo prêmio que se preze tem lá suas menções honrosas a pessoas e empresas que se destacaram no ano que passou. O “Oscar brasileiro dos quadrinhos” acaba de divulgar os homenageados desta edição.

O maior deles é, sem dúvida, Eugenio Colonnese. Um dos maiores criadores do quadrinho nacional, falecido no ano passado, terá sua personagem Mirza imortalizada na figura do troféu HQMix deste ano.

Zélio Alves Pinto e Ciça receberão o troféu de Grande Mestre, por ter “incentivado novos valores e fortalecido a classe (dos desenhistas) com seus eventos e publicações”.

Outros homenageados serão o cartunista Ziraldo, que venceu o Prêmio Iberoamericano de Humor Gráfico Quevedo, concedido pela Universidade de Alcalá (Espanha); e os irmãos Gabriel Ba e Fábio Moon, pela conquista do Eisner Awards 2008 e tudo que isto representou em termos de projeção do quadrinho nacional no mercado norte-americano.

O ministério da Cultura, por meio do Programa Nacional da Biblioteca nas Escolas (PNBE) – que há alguns anos incluiu os quadrinhos na cota de compras governamentais para distribuição em escolas públicas de todo o País –, vai receber o troféu de Grande Contribuição ao Quadrinho Nacional.

Na mesma categoria, será homenageada a FNAC, pela organização de eventos, concurso e destaque aos quadrinhos em suas lojas.

A relação completa dos premiados nas mais de 30 categorias será divulgada na semana que vem, dia 17. No dia 21, sexta, acontece a festa de entrega no SESC Pompeia, com apresentação de Serginho Groisman.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Papo de Quadrinho viu: G.I. Joe – A Origem de Cobra

Por Társis Salvatore

Para manter a tradição de respeito deste blog a seus leitores, não há spoilers nesta nota.

Se você tem mais de 30 anos, se lembrará com carinho saudoso dos “Comandos Em Ação” (cujo nome original é G.I.Joe): os bonequinhos articulados colecionáveis (ok, pode chamar de action figures), repletos de acessórios como armamentos e veículos especiais, além de uma galeria de heróis e vilões, e que foram sucesso nos anos 1980.

Alavancado por um desenho animado que passava na TV Globo, os bonequinhos do G.I. Joe eram um sonho de consumo da molecada na época.

Décadas depois, o mesmo cinema norte-americano que explorou personagens de games e se rendeu aos super-heróis dos quadrinhos, investe agora em produções baseadas em produtos colecionáveis. O que não é um problema, já que hoje todos os outros personagens do cinema acabam se transformando em action figures.

E o que esperar de um filme baseado em bonequinhos de brinquedo para meninos?

Depois de acertar a mão com os Transformers, a fabricante de brinquedos Hasbro uniu-se à produtora Bonaventura para fechar o projeto G.I. Joe. Como não bastam efeitos especiais de primeira para fazer um bom filme, a ideia foi resgatar os principais personagens - conhecidos tanto nos brinquedos quanto nos desenhos animados -, atualizar a equipe G.I. Joe e seus veículos especiais, e dar um carater internacional com os maiores agentes especiais de todo o mundo.

O resultado é um filme divertidíssimo, um misto de videogame, James Bond e história em quadrinhos. O bom elenco selecionado para viver os principais heróis e vilões ajudou o diretor Stephen Sommers (Van Helsing; O Retorno da Múmia) a contar uma história coesa criada por Michael B. Gordon (300), para apresentar a equipe G.I. Joe, suas especialidades e habilidades.

O filme tem um bom ritmo, alternando humor, paixão - sem apelação – e, claro, muita ação, perseguição de veículos, destruição de cidades, tiroteio e lutas coreografadas.

Afinal, os G.I.Joe são uma equipe secreta de elite, reunindo os melhores especialistas militares nas mais diversas áreas de combate, cada um com pleno domínio de seus equipamentos especiais. Quando a ameaça é global e tudo mais falhar, os G.I. Joe entram em ação para vencer ou morrer.

Não podemos esquecer os datalhes da produção que enriqueceram o filme: o figurino, os sets principais construídos em tamanho real nos estúdios Downey, em Los Angeles, e claro, os veículos especiais, que vão desde o armamento mega-sofisticado até a vedete do filme, o maravilhoso caça cobra Raven. Para a alegria das crianças (incluindo as grandes), esses heróis e veículos estão sendo lançados no Brasil pela Hasbro.

Seja para relembrar seus heróis de brinquedo dos anos 1980 seja para apresentar aos seus filhos de nove a 14 anos aos “novos” G.I. Joe, dê uma chegada à sua sala de cinema favorita, compre seu combo de pipoca e se divirta com essa aventura repleta de ação desenfreada e pancadaria. E quanto aos personagens colecionaveis da Hasbro, resista se puder.

Uma última informação: para conhecer todos os detalhes da história dos G.I. Joe procure a revista Mundo dos Super-Heróis 17, que traz uma matéria completa do especialista Eder Pegoraro, criador do blog sobre action-figures Sala de Justiça.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Assista a Spider-Man’94 de graça

Há algum tempo, a Marvel começou a disponibilizar em seu site, em formato streaming (direto na tela do computador, sem opção de download), alguns desenhos animados de seus personagens.

Já entraram no ar Wolverine e os X-Men, os X-Men dos anos 90, X-Men Evolution, o Homem-Aranha dos anos 60, o desenho atual do Quarteto Fantástico e a série japonesa live-action do Homem-Aranha.

Agora, a editora passa a liberar também o desenho do Aranha dos anos 90. A animação sofreu forte censura na época e muitas coisas foram suavizadas: o Duende Verde, por exemplo, não morreu, foi mandado para outra dimensão; o Justiceiro não portava armas letais; e por aí vai...

Ainda assim, é boa diversão e, melhor de tudo, de graça. O único senão é que, claro, o desenho não é dublado ou legendado.

O primeiro episódio, Night of The Lizard, já está no ar e a Marvel promete disponibilizar um novo a cada semana.

No total, Homem-Aranha: A Série Animada teve 65 episódios, divididos em cinco temporadas, exibida nos Estados Unidos pela Fox entre 1994 e 1998. No Brasil, foi ao ar pela Fox Kids, Jetix e Globo.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

O fim do Justiceiro? (2)

Há pouco tempo, Papo de Quadrinho divulgou aqui o que pode ser o fim do Justiceiro no arco de histórias Rest in Pieces, que começa na edição 8 da revista The Punisher a partir deste mês.

Agora, a Marvel liberou novo teaser de uma minissérie, arco ou edição especial chamado FrankenCastle, que estreia em novembro. Além da imagem ao lado, a única informação que chegou foi: “O Justiceiro como você nunca o viu antes”.

Sinceramente, espero que não seja nada parecido com aquela bobagem que foi a mini Purgatório (1998/1999). O Justiceiro não merece...

Aproveitando, a Marvel soltou também uma das capas alternativas da edição 9, que chega às bancas americanas dia 16 de setembro.

Novos bonecos G.I. Joe

A Hasbro aproveita a estreia brasileira do filme G.I. Joe: The Rise of Cobra neste dia 7 para despejar nas lojas uma novíssima coleção dos bonecos que vêm marcando a infância de várias gerações.

Esta série de brinquedos é justamente baseada no longa-metragem e vem com bonecos articulados que se assemelham aos personagens.

A coleção traz também jatos, tanques e outros veículos presentes na trama, alguns equipados com luzes, sons e sistemas de armamento secretos, e um cenário da base de operações dos Joes, expansível em vários andares e até com elevador.

A saga G.I. Joe vs Cobra, que originou tanto o filme quanto a linha de brinquedos, data do início dos anos 1980, presente em desenhos animados na TV e revistas em quadrinhos.

A nova linha da Hasbro é composta pelos seguintes itens (os valores entre parênteses são o preço sugerido pela fabricante):

- Bonecos articulados de 3,75 polegadas (R$ 39,99)
- Cenário The Pit: (R$ 999,99). Wow!!!
- Veículos para as figuras de 3,75 polegadas (R$ 89,99).
- Veículos maiores, acompanha um boneco articulado (R$ 169,99).
- Aeronave Night Raven, maior veículo da série, acompanha um boneco de 3,75 polegadas (R$ 299,99).
- Figuras de ação de Snake Eyes e Storm Shadow com 12 polegadas e versão luxo (R$ 149,99).
- Figuras de ação de 12 polegadas inspiradas nos bonecos dos anos 60 e 70 (R$ 129,99).
- Figuras de ação Tropa Robusta, com 12 polegadas e função para golpe de braço (R$ 149,99).
- Veículo com personagem estilo cartoon (R$ 69,99)
- Figuras em versão cartoon e menores que as tradicionais, versão unitária (R$ 19,99) ou dupla (R$ 34,99).

Capitão América de Neal Adams vai a leilão

O venerado artista norte-americano é mais um a entrar na campanha de arrecadação de fundos em prol do colega John Ostrander e sua batalha contra o glaucoma.

A campanha foi iniciada pela editora da revista Wizard e passou a receber apoio do site Comicx4Sight desde a San Diego Comic Con, no final de julho.

O leilão acontece na noite deste sábado, dia 8, e contará com pelo menos mais duas artes: Batman e Gavião Negro, por Andy e Joe Kubert; e Gonzo, pelo artista Roger Langridge, da revista The Muppet Show (abaixo). O site da Comicx4Sight tem outros trabalhos também à venda.

Segundo o próprio John Ostrander, o que for arrecadado além do que ele necessita para seu próprio tratamento será doado para a The Hero Initiative, entidade que atende criadores dos quadrinhos em situação de necessidade.

Mais um brasileiro na MAD

Estevão Ribeiro, criador de Tristão e autor do romance autobiográfico ilustrado Enquanto Ele Estava Morto estreia na próxima edição com suas tiras Os Passarinhos.

Para quem quiser conhecer o trabalho de Estevão antes da revista chegar às bancas, há várias tiras já publicadas no seu blog, atualizado todas terças, quintas e sábados.

Estevão começou a publicar Os Passarinhos no blog Eu Rio Muito há menos de um mês. Segundo Raphael Fernandes, editor da MAD brasileira, tem mais novidades na próxima edição da revista.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Concurso Cultural Turma do Gabi

As inscrições vão até dia 31. Em sua terceira edição, o concurso é dirigido a crianças de 9 a 14 anos e consiste em fazer um desenho tendo como tema a “Paz”.

A iniciativa é do estúdio EMT, de Moacir Torres, criador da Turma do Gabi, com apoio da Fundação Pró-Memória e Prefeitura de Indaiatuba. Os três melhores trabalhos ganham um MP3 player e um kit com quadrinhos e livros infantis dos personagens.

Mais informações aqui ou pelo telefone (19) 3875-8383.

Luluzinha Teen assume ritmo de aventura

Com dois números publicados, boa publicidade e a imagem dos personagens mais consolidada, a revista da Luluzinha Teen parte para uma trama mais aventureira na edição deste mês.

Segundo release da Ediouro, Luluzinha banca a detetive e investiga uma série de acontecimentos bizarros em sua cidade, o que acabará colocando a menina num dilema.

Os dramas típicos da idade continuam, com a amiga Glorinha enciumada por causa de um beijo que Leon roubou de Luluzinha. Há também a introdução de um novo personagem, Vitor Vergerus, um empresário que retorna à cidade e pode estar envolvido no mistério que Luluzinha investiga.

Com um blog bacaninha na Internet, Luluzinha Teen e sua Turma assume de vez uma linguagem “televisiva” ao chamar a série de revistas de “temporada” e cada edição de “episódio”.

Projeto 100% brasileiro, Luluzinha Teen é editada sob o selo Pixel, com roteiro de Renato Fagundes e arte do estúdio Labareda. É voltada para jovens entre 12 e 16 anos, tem 96 páginas, capa colorida, miolo p&b (16 páginas em cores) e custa R$ 6,40.

Ou a revista realmente anda vendendo bem ou a Ediouro gosta de jogar dinheiro fora (o que eu duvido), já que a tiragem anunciada é de 100 mil exemplares.

sábado, 1 de agosto de 2009

Motion Comics da Mulher-Aranha

Mesmo correndo o risco de me repetir, vou abrir esta nota dizendo que, para mim, os motion comics são o futuro dos quadrinhos na Internet.

A DC investiu recentemente no formato ao adaptar os 12 capítulos de Watchmen e condensá-los em DVD. A técnica consiste em dar movimento à arte original de uma HQ e acrescentar vozes, trilha e efeitos sonoros.

Agora, foi a vez da Marvel anunciar, durante a San Diego Comic Con, o lançamento de uma linha de motion comics. As primeiras serão Spider-Woman, Agente of S.W.O.R.D. (veja trailer abaixo) e Astonishing X-Men: Gifted.

Segundo o chefão Joe Quesada, o primeiro episódio de Spider-Woman estará disponível este mês no iTunes e, mais para frente, para Xbox e também no site da Marvel, para ser assistido online ou em download pago. No futuro, a HQ "animada" poderá sair também em DVD.

Vem aí: Image United

O nome do projeto diz exatamente o que ele representa: a união dos fundadores da Image em uma única HQ.

Erik Larsen, Rob Liefeld, Todd McFarlane, Whilce Portacio, Marc Silvestri e Jim Valentino participam do projeto, cada um desenhando seus próprios personagens - o corresponde a dizer que haverá páginas desenhadas por seis artistas diferentes. O roteiro é de Robert Kirkman.

Os protagonistas da série serão Cyberforce, Witchblade, Youngblood, Fortress, Savage Dragon, Spawn e ShadowHawk. As páginas circularão via e-mail para que cada co-autor dê sua contribuição.

Para quem estava com saudade de conferir trabalhos dos fundadores da Image (se é que alguém estava), taí uma boa pedida. O lançamento está assegurado para novembro (nos Estados Unidos).